[ Opinião > Virginia Salomão ]

Dirigente do Curitibano conta como aprendeu a jogar golfe
20/2/2008 - 9h26
Virgínia Salomão
Foto de Virgínia Salomão  

              

Em entrevista exclusiva à coluna, o agropecuarista e diretor de golfe do Clube Curitibano, Luiz Alceu Ferreira (foto), conta como aprendeu a jogar golfe e virou dirigente. Sobre as metas estabelecidas para o golfe do clube, ele ressalta o que ganhará prioridade.
 
Como o golfe entrou na sua vida?
Luiz Alceu Ferreira – Comecei a jogar à convite de amigos, que já praticavam o esporte há algum tempo. Isso faz 20 anos. Na época eu tinha outros interesses como os cavalos de corrida, mas acabei aderindo totalmente ao golfe.  
 
A prática da modalidade interfere no seu dia-a-dia?
Ferreira – Não. Concilio muito bem com os meus negócios. Sou agropecuarista e nas horas de folga, em minha fazenda, aperfeiçôo as minhas tacadas.
 
 
Que tipo de relação você pretende manter com os jogadores do Clube Curitibano?
Ferreira – A mais estreita e transparente possível, criando sempre facilidades para os sócios.
 
Quais as benfeitorias mais recentes feitas no campo?
Ferreira – Estamos complementando a troca de grama nos fairways, da comum para a bermuda. O campo já está com 80% da grama trocada. Também estamos constantemente aprimorando as condições do campo, cuidando de sua manutenção. Além disso, a flora, que já é rica, está ganhando reforço com a plantação de mais árvores.
 
Algum tipo de atenção especial será dada aos golfistas juvenis da casa?
Ferreira – Sim, sem dúvida alguma. Eles terão benefícios como bolas gratuitas para treino, e orientação de profissionais altamente qualificados.
 
Conseguir patrocínio para qualquer tipo de esporte é sempre um grande e exaustivo desafio. Existe uma fórmula eficaz para vender o produto golfe?
Ferreira – Acredito que as empresas especializadas em marketing esportivo sejam o caminho correto.
 
Dentre os golfista brasileiros, qual você considera o melhor?
Ferreira – Tem muita gente boa representando o país, mas o paulista Rogério Bernardo, que se tornou profissional há pouco tempo, preenche todos os quesitos de um jogador de elite. O estilo dele é perfeito. Pode-se dizer que é um golfista completo.
 
Há cerca de 5 anos, a revista Planet Golf, numa pesquisa que contou com o apoio da revista Golf Digest, apontou o campo de golfe do Clube Curitibano entre os 10 melhores do Brasil. De lá para cá qual o peso disso?
Ferreira – Foi muito importante para nós. Ficamos orgulhosos. Até porque, em cima disso, redobramos nosso trabalho para que o campo faça sempre jus a esse reconhecimento.
 
Dentro das metas estabelecidas no plano de ação da atual diretoria, no que diz respeito ao departamento golfe, qual ganhará prioridade?
Ferreira –  No momento, a prioridade é terminar as obras de construção de um complexo que abrigará além da secretaria de golfe, um espaço destinado ao lazer, com sala de jogos e outras atividades que visem aliviar as tensões do cotidiano.
 
Antes de ser convidado para ser diretor de golfe do Clube Curitibano, você ocupou outros cargos relacionados a modalidade?
Ferreira – Sim, fui vice-presidente administrativo e financeiro
 da Federação Paranaense de Golfe (FPG), e diretor da Associação Brasileira de Golf Senior. Atualmente sou conselheiro da ABGS.  No que diz respeito ao Clube Curitibano, fui vice-capitão de golfe e também capitão.

 
Internacionais
 
Kahuku (HAV) - A brasileira Ângela Park (PR), de 19 anos,  superou a má estréia no SBS Open do LPGA Tour, quando jogou 75, três acima do par do campo de Turtle Bay, e conseguiu fechar a segunda rodada do torneio com 65 (a melhor volta do torneio) para somar 140 e ficar em oitavo lugar.
 
A também brasileira Maria Cândida Hannemann (RJ) terminou em 88.º lugar, com 149 (+3), e não passou o corte por duas tacadas. A sueca Annika Sorenstam e a norte-americana Erica Blasberg dividiam, até então, a liderança. Ambas com 137 tacadas.
 
Na terceira e última rodada (sábado), Ângela jogou 69 tacadas, para somar 209, sete abaixo, e terminar em quinto lugar. Atrás apenas de Paula Creamer. O próximo torneio que Ângela joga é o HSBC Women's Champions, de 28 de fevereiro a 2 de março, no Tanah Merah Country Club, na Tailândia.
 
O título da competição ficou para a sueca Annika, que somou 206 tacadas (70-67-69). “É grandioso ganhar torneios. Há alguns que significam mais que outros. Eu diria que este é um deles”, disse a sueca. Duas tacadas atrás dela (208) ficaram Russi Gulyanamitta (71-69-68), Laura Diaz (70-68-70) e  Jane Park.

 
Califórnia (EUA) – Nomes de peso do golfe mundial participaram entre quinta-feira (14) e domingo (17), no Riviera Country Club, em Palisades, na Califórnia, do Northern Trust Open.
 
O norte-americano Phil Mickelson, um dos favoritos ao título, correspondeu às expectativas e faturou o título com 272 tacadas, parciais de 68-64-70-70. Em segundo lugar, com 274, ficou Jeff Quinney, seguido pelo irlandês Padraig Harrington e o inglês Luke Donald. Ambos com 277 no total.

 
Strokes
 
* O Las Palmas Golf & Country Club, em São José dos Pinhais, promoverá sábado (23) o Torneio Interno Fevereiro 2008. A modalidade de jogo será stroke play, em 18 buracos, com shot gun às 8 horas, para atletas com index 0 a 18 e 18,1 a 24,8 (masculino) e  atletas com index 0 a 21,1 (feminino). Para atletas com index acima de 24,9 (masculino) e 21,2 (feminino), a modalidade de disputa será stableford.

 
* Confirmado para este fim de semana, o Torneio Wolf Hotte, classificatório do Graciosa Country Club para o 60.º Campeonato Aberto de Golfe Cidade de Curitiba.

 
* Ganhou local e data o 15.º Open de Golfe do Norte do Paraná: Londrina Golf Club, de 1.º a 2 de março.

  
* De sexta-feira a domingo (22/24), no Gávea Golf & Country Club, realiza-se a segunda etapa do Tour Nacional de Golfe Juvenil. Entre os paranaenses que confirmaram participação no torneio estão Ana Ramirez, Daniel Stapff, Henrique Rocha Pombo, Larissa Rocha Pombo (que ficou em segundo lugar na primeira etapa do Tour, disputada em janeiro), Petra Bogoslavsky, Roberto Paciornik e Uri Bogoslavsky.
 
Vale ressaltar que a competição define a equipe que representará o Brasil no Sul-Americano de Golfe Juvenil, de 10 a 15 de março, na Colômbia.
 
O Tour Nacional de Golfe Juvenil ainda terá etapas em Ponta Grossa (PR), de 16 a 18 de maio; e Porto Alegre (RS), de 19 a 21 de setembro.

 
* O presidente da Associação Brasileira de Golf Senior, Paulo Coelho, fez bonito e faturou recentemente o título scratch do 2.º Torneio Sênior de Iberostar, na Praia do Forte (BA). Ele terminou somando 70 pontos (stableford), após dois dias de competição.

Comente essa coluna clicando no e-mail redacao@golfexpress.com.br


 
Virgínia Salomão, jornalista,
é colunista
do golfe há 16 anos.
Primeira mulher
especializada no esporte no Brasil,
é também pioneira
na  divulgação semanal dessa
modalidade no país.
                                         
 
 
Empresa especializada em golfe. Mais de 20 anos no mercado
Clique aqui e conheça
SIMON PRESS
Assessoria de Comunicação em
esporte, saúde, empresas, eventos. Revistas, catálogos e sites.
 Minigolfe
Locação e eventos
(11) 2280-4962
 Consultoria
Palestras em escolas e empresas (11) 2280-4962
 LEI DO INCENTIVO
Projetos e Gestão - Simon Comunicação
(11) 2280-4962
Anuncie em Golfexpress
(11) 2280-4962